segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Prémio Melhor Montra



Prémio Nacional de Melhor Montra da Porto Editora atribuído em 2016 à nossa loja, resultado do trabalho diário de uma equipa que procura fazer sempre mais e melhor. 
Obrigado!

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Essa Puta tão Distinta


Juan Marsé é mais um dos grandes nomes da literatura Espanhola atual e é sempre um prazer lê-lo. Neste novo romance, cujo título poderá ferir algumas susceptibilidades, o narrador é um escritor que aceita escrever um argumento para um filme com ponto de partida num assassinato cometido nos anos 40 do século XX. Vive-se o ano de 1982 e a transição política está no seu auge na Espanha pós Franco mas os efeitos da guerra civil e da ditadura ainda marcam a atualidade do país. 
Um livro cheio de referências cinematográficas, em que a memória e os seus enganos são tema central.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Dia dos Namorados



O que oferecer à sua cara-metade?
Na Papelaria e Livraria Soares temos muitas sugestões e ao adquirir um presente de valor igual ou superior a 10€ damos-lhe uma oferta saborosa. 
Esta campanha é válida até dia 14 de fevereiro.
Venham e ofereçam amor!

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

A Vegetariana


A Vegetariana foi o romance que deu o prémio Booker International de 2015 à escritora Coreana Han Kang. 
Uma mulher vulgar, com uma vida vulgar, decide, na sequência de um sonho recorrente, que não comerá mais carne. As consequências desta decisão serão muitas e a vários níveis. O seu casamento, vulgar em todos os aspetos, irá sucumbir, as relações com a sua família também e toda a sua vida entrará numa espiral de destruição.
Uma história que pode, inicialmente, parecer desinteressante, transforma-se num relato de violência física e psicológica e vamos assistindo ao alheamento total da protagonista e à sua tentativa de fusão com o mundo vegetal.
Livro diferente, de grande violência e erotismo, que nos traz uma sociedade diferente e uma protagonista em grande sofrimento.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Análise do ano


Num ano em que li um pouco menos do que o que vinha sendo habitual ( li 56 livros), houve, como sempre, livros que foram mais marcantes. Mais uma vez as minhas leituras foram maioritariamente  romances, mas também a história, a saúde e o desenvolvimento pessoal foram contemplados. Ao olhar para este 2016 fica um sentimento de alguma frustração por, como é hábito, serem muitos os livros que queria ter lido e não ter tido capacidade para mais.
Há aqui algumas confirmações, algumas descobertas e muitas horas de prazer.
A ordem refere-se apenas à ordem de leitura, cronologicamente falando. 
Sem mais demoras:

domingo, 29 de janeiro de 2017

O Ruído do Tempo


O novo livro de Julian Barnes é uma biografia romanceada da vida de Schostakovich. Este foi o maior compositor soviético, no entanto, a estreia da sua ópera Lady Macbeth de Mtsensk vai colocar a sua situação profissional e a sua vida em risco. Esta, mal recebida por Estaline irá provocar uma perseguição ao compositor. O autor mostra-nos um  homem dividido entre a sua criatividade , o medo e a coação de que é vítima. 
Livro com escrita de grande sensibilidade que é ainda um retrato da sociedade soviética ao longo do século XX.

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Homens Imprudentemente Poéticos


Cada novo romance de Valter Hugo Mãe agita as águas nos meios literários.
A coincidir com os 20 anos de carreira do autor, a edição de Homens Imprudentemente Poéticos traz-nos um romance com uma floresta no Japão profundo como cenário. Este é um local de suicídios onde dois vizinhos vão alimentando uma inimizade crescente.
A vida e a morte, o bem e o mal, o amor e o ódio, a sorte e a falta desta,  tudo servido com uma linguagem poética, como Valter Hugo Mãe já nos habituou.
Uma escrita que deve ser saboreada.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Gaivota


Sándor Márai é um autor incontornável e os seus livros proporcionam sempre uma boa leitura.
Um alto funcionário acabou de assinar um documento que irá afetar a vida de milhões de pessoas. Nesse momento uma mulher surge e pede para lhe falar. Esta mulher é uma sósia perfeita da mulher que ele amou e há muito desaparecida. Daqui em diante toda a segurança e a prudência que este homem sentia vão ser abaladas e a realidade e o imaginário andarão de mãos dadas.
Um exercício de reflexão sobre o envelhecimento, a vontade/incapacidade de amar e a paixão, publicado originalmente em 1943 e que é também um reflexo dos tempos difíceis vividos na altura.

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

O Luto é a coisa com penas



Max Porter escreve sobre uma família enlutada pela morte de Sylvia, a mãe. Um pai à deriva na sua dor, dois filhos que tentam compreender as mudanças que as suas vidas ressentem. O corvo é a figura incómoda, negra e desagradável mas também cheia de humor, que vai acompanhar esta família destroçada na sua reconstrução.
Com muitas referências literárias, mais concretamente a Ted Hughes, Sylvia Plath ou ainda Emily Dickinson a narração divide-se pelas vozes do pai, dos filhos e do corvo. Dividido em três partes que refletem as três fases do problema que a família vive: na primeira parte o aparecimento do corvo, com a morte da mãe/esposa; na segunda parte a luta desta famíla para prosseguir e, por fim, na terceira parte a partida do corvo perante o "trabalho" feito.
Com uma escrita em prosa mas que é altamente poética, tratando de um tema tão doloroso com momentos de grande intensidade emocional, mas também momentos de humor, o Luto é a Coisa com Penas é um livro difícil de classificar mas de uma grande beleza numa forma muito original.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

E quando eu não puder decidir


Este pequeno ensaio trata de um tema central das nossas vidas: a nossa morte e as decisões a tomar para um final de vida digno.
São abordadas questões como o direito à informação, o modo de encarar as doenças, o consentimento, a morte assistida, a eutanásia ou o testamento vital. O processo de preparação para a morte e as questões de ética com ele relacionadas são aqui abordados nas suas várias vertentes de forma inteligente e clara.
Um pequeno livro muito interessante, incluído numa coleção de qualidade que tem ainda a vantagem de ter preços muito acessíveis.