segunda-feira, 29 de agosto de 2016

O Jogador



Dostoiévski é sempre uma leitura ímpar. Este pequeno O Jogador é, mais uma vez, um grande livro. O jovem narrador conta-nos a sua experiência de vida ao passar de preceptor de uma família Russa com algum renome mas completamente falida, a jogador compulsivo. Como é habitual nos livros deste autor, os personagens são retratados de forma exímia e os seus defeitos e virtudes elevados ao expoente máximo. Não há personagens "secundários", todos os intervenientes são analisados ao pormenor e essa análise incide, como sempre, nos sentimentos exacerbados, no descontrolo e na incapacidade de tomar as próprias vidas em mãos. Em resumo o retrato de uma sociedade à deriva, à imagem destes personagens.  Mais uma pérola.

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Se Isto é uma Mulher



Ravensbrück foi o campo de concentração que  Himmler criou para as mulheres. Aqui as condições eram tão difíceis como nos campos masculinos. As experiências médicas, a fome, a doença, o trabalho escravo foram o dia-a-dia do campo que funcionou do início ao final da Segunda Guerra Mundial.
Sarah Helm-jornalista Inglesa-faz um retrato do campo seguindo uma ordem cronológica e dando uma visão das alterações que este foi sofrendo ao longo do tempo. Baseado nas pesquisas exaustivas da autora e nos testemunhos de muitas sobreviventes, percebemos que foram muitas as dificuldades que a autora teve de ultrapassar para nos trazer este documento valioso, até pela falta de documentação deste campo e o facto de durante muitos anos ter estado "protegido" pela cortina de ferro.
De leitura acessível, este é um retrato muito completo do horror vivido pelas mulheres ali encarceradas. 

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

A Vida no Campo


Sou uma leitora bastante eclética mas tenho, no entanto, alguns preconceitos. Quando alguém vem mexer com eles e nos surpreende pela positiva é sempre um grande prazer. Foi o caso deste livro e deste autor.
Aqui estamos perante uma compilação de crónicas, afazeres e sentires do quotidiano do escritor. Temas muito diversos mas em que o amor à família e à terra são uma constante. Sendo um livro de crónicas é delicioso sermos confrontados com a ternura de Joel Neto pelo avô, pelos amigos, por muitos dos habitantes da ilha que o viu nascer e que ele tão bem descreve e defende.
Um livro que se lê de uma penada, com toda a simplicidade e que é uma descoberta deliciosa.

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Leituras de Verão


O verão é por excelência época de leituras. 
Deixamos hoje algumas sugestões a preços reduzidos.
Boas férias e boas leituras!

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Deus Ajude a Criança


Toni Morrison foi agraciada com o Prémio Nobel em 1993 e na minha modesta opinião é uma escritora de armas e este prémio foi plenamente merecido.
Deus ajude a criança trata, como é hábito nos livros desta autora, de questões de racismo, mas não se fica por aí. Sweetness tem uma filha mas esta nasce com um tom de pele que irá transformar a vida da mãe e marcar a todos os níveis a vida da filha.
Num mundo em que os negros são constantemente discriminados Sweetness educa a filha de forma a que esta consiga singrar neste meio duro. O método revela-se eficaz mas deixa muitas sequelas.
Minha segunda leitura de Toni Morrison (depois de a nossa casa é onde está o coração), é uma autora marcante.

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Gramática do Medo


Livro escrito a quatro mãos por duas escritoras que já têm provas dadas - Maria Manuel Viana e Patrícia Reis; traz-nos a história de duas amigas unidas por todas as vivências comuns do amor ao medo.
As vidas das protagonistas são abaladas pelo desaparecimento de Mariana e Sara decide ir procurá-la. Essa busca leva a inúmeras descobertas e à constatação de que nunca conhecemos o outro.
Um livro sobre o qual não é fácil escrever tantas são as emoções que provoca. Nada melhor do que lê-lo e saboreá-lo. 
Notas ainda para a escrita fantástica e para a capa que adoro!

segunda-feira, 25 de julho de 2016

Conquistadores


Os Descobrimentos Portugueses têm mais de 500 anos mas continuam a proporcionar descobertas. Neste livro o historiador Roger Crowley, fala-nos das viagens marítimas dos grandes vultos do século XV e XVI em Portugal. Tendo como foco a Índia, a descoberta do caminho marítimo para este sub-continente e o domínio Português do comércio nesta zona do globo, o autor começa por fazer um resumo da história da expansão Lusa iniciando com a tomada de Ceuta e terminando com a morte de Afonso de Albuquerque.
Escrito de forma acessível para todos os tipos de leitores, prima pela qualidade da pesquisa e pela linguagem clara. 
Leitura empolgante e muito informativa.

segunda-feira, 18 de julho de 2016

O Deputado da Nação


Aqui está outro livro escrito a quatro mãos. E que mãos! Manuel da Silva Ramos e Miguel Real são dois escritores com um sentido de humor finíssimo e uma perspicácia inigualável.
Umbelino Damião é o deputado retratado e com um percurso subido a pulso graças ao chico-espertismo que o carateriza, é o retrato de uma certa classe nacional que se governa às  expensas de todos os incautos. Repleto de um humor contundente é ainda um excelente retrato da sociedade Portuguesa atual. 
Escrito com uma boa dose de loucura, ou não fosse Manuel da Silva Ramos um dos autores, é de leitura compulsiva, servido por uma escrita depurada e um excelente uso da língua.

quarta-feira, 13 de julho de 2016

À Espera de Bojangles



Primeiro romance do Francês Olivier Bourdeaut, foi difícil conseguir editá-lo mas o sucesso chegou de imediato e quando o lemos sabemos porquê. 
O narrador é o filho do casal retratado e na sua inocência e ingenuidade destaca-se a beleza do amor que une esta família mesmo que percebamos que este amor vai sendo arrasado pela loucura.
O título tem origem numa música de Nina Simone que é também o fio condutor da narrativa sendo a música favorita da mãe e uma presença em todos os momentos, sejam de alegria ou de tristeza.
Livro belíssimo, escrito com muita sensibilidade que nos transporta dos sonhos à realidade, do riso às lágrimas, sempre com uma escrita leve e fluída mas também poética.

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Francamente, Frank



Frank Bascombe é um personagem que os leitores de Richard Ford conhecem de há várias décadas e que após ser jornalista desportivo se tornou agente imobiliário. Já na reforma, e após o crash imobiliário da América e a passagem do furação Sandy, Frank faz um balanço de vida em que a devastação que o rodeia caminha lado a lado com a devastação da idade. 
Uma análise da situação social dos Estados Unidos que nos chega pela voz por vezes politicamente incorreta deste personagem mítico.
Este livro foi Prémio Princesa das Astúrias de las Letras 2016 e finalista do Prémio Pulitzer 2015.